Estação do Metrô
Tem coisas que só acontecem no metrô…

Eu não lembro se já cheguei a comentar por aqui que o Metrô de Brasília é uma piada: leva do nada para lugar algum. Simplesmente não dá pra usar como meio de transporte público e funcional. As estações são em pontos nada estratégicos, fazendo que com que o pobre-coitado do usuário prefira ir andando pro trabalho. Tanto que um colega paulista exclamou certa vez ao ver a maravilha tecnológica percorrendo os trilhos ao lado do shopping, tal seu diminuto tamanho: “Pô… que legal! Tem até trem-fantasma por aqui!”

Bem, outro dia fui passear de Metrô e me deparei com o incidente que relato a seguir. Juro que é verdade! É claro que o desfecho não é tão interessante como algumas histórias de carnaval de certos malandros, mas não pude deixar contar a vocês.

Então segura a história:

Estava lá, todo contente no meu assento, quando vejo um anão escorregando pelo banco e um outro passageiro, solidário e bem vestido, recolocando o malandro de volta, no mesmo lugar. Como o Metrô estava um pouco cheio e não havia lugar para todos, alguns ficavam de pé. O anão, coitado, ficava de pé mesmo estando em um dos assentos. Talvez para poder enxergar melhor as estações.

Um tempinho depois, o anão voltou a escorregar e o mesmo passageiro voltou a colocá-lo no assento. Estava até achando interessante a solidariedade do passageiro se preocupando com o anão.

Só que o Metrô não parava de chacoalhar e o anão não parava de escorregar. Lá pela décima vez, o cara que estava de pé ficou puto da vida e encheu o saco de ficar sendo babá do sujeito desprovido de altura e bradou:

- Pô, camarada! Tá de sacanagem? Eu não me importo de te ajudar, mas será que você não consegue sentar-se direito? Já tá chato ficar te segurando…”

No que o anão responde, placidamente:

- Meu amigo, estou há mais de cinco estações tentando sair… mas o senhor não deixa!

E tenho dito!

 

Aproveite que está aqui e assine o feed dos posts. Obrigado!
Você pode deixar um comentário, ou enviar um trackback do seu site.