Amigo Secreto: participe você também

Por Raphael Roale em 29/10/2008

Se você tem um blog e gosta de brincadeiras, não deixe de participar do extraordinário “Amigo Secreto da Blogosfera“.

_amigo_secreto

Mas corra pois as inscrições só vão até o próximo dia 30/10 através deste link.

O Amigo (ou inimigo, quem vai saber…) Secreto constitui de apenas algumas coisas:

  • Participantes
  • Sorteio dos Amigos de modo secreto
  • Distribuição dos presentes.

Simples, fácil e não faz sujeira alguma.


FutureCom e a desgraça paulista

Por Raphael Roale em 29/10/2008

Estou em São Paulo por estes dias para a FutureCom 2008. Eu não gosto muito dessa cidade, mas tenho que admitir que em nenhum outro lugar o clima cosmopolita é tão impressionantemente forte como aqui. Desde a paisagem de concreto até o andar apressado das pessoas. Tudo é diferente.

Novotel Morumbi em São Paulo

Eu sei que estou em São Paulo quando:

  1. Olho pro céu e não vejo o céu;
  2. O taxista só sabe falar mal da Marta (aquela desgraçada!) e bem do Kassab (é viado mas ajudou a classe!)
  3. O taxista precisa olhar num guia onde fica meu hotel (qual o nome da rua mesmo?);
  4. Levo 2 horas para percorrer 20 Km (pensei que fosse levar só 20 minutos, carioca!)
  5. O checkin do hotel leva 2 minutos (é só passar o cartão fidelidade, senhor!);
  6. O sotaque da atendente do balcão me irrita;
  7. O elevador do hotel pede que insira o cartão do seu quarto (senão paga mico com a porta fechada, como eu);
  8. Chego no quarto e já tenho a minha camisa passada, que pedi no checkin;
  9. A TV do quarto de hotel é grande e de LCD;
  10. Tem os canais Telecine na TV do quarto;
  11. A Internet no quarto custa 6 reais o minuto;
  12. Peço um pedaço de pudim que não comi no jantar e ganho quase o pudim inteiro;
  13. Não vejo a hora de voltar pra casa;

Prometo que amanhã falo e divulgo minhas fotos sobre FutureCom. Hoje minha cota paulista já deu!


Kassab é gay

Por Raphael Roale em 22/10/2008

A afirmação de que Kassab é gay não é minha, e sim da candidata a prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, que no fogo da campanha eleitoral produziu um vídeo de 30 segundos como munição de sua candidatura difamando a vida de seu adversário.

O engraçado disso tudo é que a candidata Marta Suplicy construiu sua carreira pública e ganhou notoriedade como defensora dos homossexuais, da diversidade e liberdade sexual. E apelar para os instintos mais primitivos e preconceituosos do eleitor no centro da campanha política é mais uma prova de que não se faz política no Brasil, só eleição: É como se a cidade de São Paulo fosse um oásis de pureza e bem-estar, e que nada sobre para discutir além da orientação sexual de prefeito.

Se você não mora em São Paulo, como eu, assista o vídeo da campanha eleitoral de Marta Suplicy em que seus marketeiros insinuam que Kassab é gay:

O vídeo da campanha é claramente dirigido aos evangélicos, praga notoriamente homofóbica e intolerante com qualquer coisa que seja distante de seus delírios celestes e diferente da “obra de Deus”.

Ainda bem que aqui no Distrito Federal não vai ter eleição. Vai me poupar de um dedo na garganta.


Agora é lei: letra de médico nunca mais!

Por Raphael Roale em 20/10/2008

Letra de médico é um droga, e ser médico hoje é sinônimo de escrever garrancho! Só funciona naquele atestado médico em que só o que importa mesmo são os dias de licença médica.

Lembro que certa vez, de madrugada, tive que voltar ao maldito pronto-socorro para re-escrever uma receita médica porque em duas farmácias não conseguiram entender o que o malandro prescreveu para minha filha. Isso debaixo de chuva e ela com febre de quase 40 graus! Geralmente pergunto várias vezes o nome do remédio, mas naquele dia, no meio da crise, havia esquecido completamente.

Receituário Médico Ilegível
Receituário: um doce para quem decifrar!

Mas agora a maldição das receitas ilegíveis parece que chegou ao fim, pelo menos aqui no Distrito Federal: o nosso benevolente governador Arruda sancionou uma lei que obriga que todas as receitas feitas por médicos e dentistas nos hospitais públicos e particulares do DF sejam informatizadas. E ainda dá ultimato: o prazo para a implementação do sistema é de 90 dias.

Mas nem tudo são flores. A Secretaria de Saúde do Distrito Federal acha que três meses é pouco tempo para a instalação do sistema eletrônico e já prevê atraso no cumprimento da lei na rede pública. E o Sindicato dos Médicos do DF reza na mesma bíblia, com a desculpa para já comunicar o atraso pois nem todos os médicos sabem utilizar computador e Internet. E os coitadinhos precisam de mais tempo para “capacitação“!

Será que esses caras não conhecem estagiários?

Fonte: G1


Crise Mundial: operadora católica contra o Diabo capitalista

Por Raphael Roale em 20/10/2008

Sobre a crise mundial, a crise financeira global, o papa Bento XVI deu uma declaração dizendo a fé em Deus é melhor do que passar a vida buscando riqueza material: “O dinheiro desaparece, ele não é nada”.  Usando uma metáfora bíblica, disse que as pessoas que ignoram o mundo de Deus para buscar a riqueza construíram suas casas sobre areia, em vez de uma base sólida de fé. E que somente o mundo de Deus é a base de toda realidade.

Só que nem todos de seu rebanho pensam da mesma forma.

Padre Tadeusz Rydzyk - servo de deu$$
Linhas tortas? Só se não forem 3G.

Este senhor aí de cima é o padre polonês Tadeusz Rydzyk. Contrariando todos os ensinamentos bíblicos e ordens do pontífice, resolveu criar uma operadora de telefonia celular católica que, além de tarifas econômicas, oferecerá serviços especiais como rezas em SMS, melodias cristãs e fundos de tela com motivos católicos. Tudo para fugir da crise financeira global.

O padre é da ordem redentorista e fundador da rádio Maryja, e resolveu flertar com a heresia fundando o negócio com o apoio de outro polonês, o empresário Roman Karkosik, um dos homens mais ricos domundo.

É… Deus escreve certo por linhas tortas? Se estas linhas forem móveis e tiver tecnologia 3G não será tão torta assim.


Eloa e Nayara: sequestro é culpa de quem?

Por Raphael Roale em 18/10/2008

A comoção pelo sequestro das meninas Eloa e Nayara e a condição frágil da saúde das garotas baleadas pelo criminoso Lindemberg Alves pegou o Brasil de surpresa. Só quem estava viajando nas últimas semanas não acompanhou o caso.


Foto da menina Eloa

Recebi o excelente texto, que publico abaixo na íntegra, numa tentativa de mostrar à sociedade quem é o verdadeiro culpado do sequestro de Eloa e Nayara.

Procura-se um culpado para o caso Eloá versus Lindemberg

Já participei de vários cenários de crises penitenciárias (embora tenham suas peculiaridades, mas cenários de crises se assemelham), onde tínhamos reféns e possíveis vítimas (termos técnicos com diferenças substanciais) para com a manutenção das vidas humanas envolvidas no cenário da crise.

A Doutrina de Gerenciamento de Crise adotada pelo Brasil recomenda que somente no último caso se deva fazer uma resolução tática da crise, sobretudo debelando o ponto critico com vista a salvar as vidas de todos os envolvidos. A ordem técnica é negociar, negociar e negociar…mesmo que isso demande bastante tempo (o suficiente para que a resolução seja pacimoniada com vidas salvas de todos os lados), mas este fator é fundamental para que o ânimus do (s) provocador (es) do evento crítico (pec), possa cair na real e se comece a dar sinais de racionalidade da irracionalidade externada, afora os pontos correlatos a cansaços físicos, fome etc como estratégias intermediárias.

E mais: mesmo que dure mais dias, pois isso também ajuda a estabelecer a famosa síndrome de Estocolmo nas pessoas dos reféns e/ou vítimas. O que, poderá, de alguma forma facilitar nas negociações já que o pec e suas “garras” passam a se verem como iguais diante do quadro estabelecido.

É evidente que crucialmente o isolamento do ponto crítico, passa a ser 99% da resolução do conflito, sobretudo em evitar qualquer forma que se crie palco ou palcos para o (s) provocador (es) de evento, de forma que o vazio diante do quadro procura, o pec, profundamente valorizar quem esteja na qualidade de refém, justamente para que ele saísse da situação criada imune a uma eventual ação policial, dentre outras razões. O que, diante do caso acima, vimos que tão logo o Lindemberg se vira diante de entrevistas em rede Nacional, formou-se, irresponsavelmente, verdadeiros palcos de “sucessos” e “outras” garantias para que ele arriscasse e pusesse em prática seu macabro plano de vingança inconsciente de destruir sua doente paixão recolhida e rejeitada pela Eloá.

O certo é que não se tem exatidão para com a resolução do evento, pois, nada no cenário sugere o uso de uma lógica mecanizada ou instrumentalizada, mas de produtos de inúmeras subjetividades a serem em tempo recorde interpretadas pelo negociador ou quem estiver fazendo sua vez, daí, as incertezas dos resultados. E os perigos latentes.

Aos desavisados, desinformados e irrealistas, é precisam saber que, por mais preparado que estejam os policiais que farão parte do Gerenciamento da Crise, todos, sem exceção, passam por inúmeras pressões mediante cobranças internas e externas, muitas vezes de oportunistas de plantão, cujo sucesso basicamente está vinculado a interesses de ordem pessoal em detrimento do coletivo, notadamente das próprias vidas que ali estão em jogo de resolução como espetáculo para um “grande noticiário para o dia seguinte”.

Tive a sorte, coragem e muita fé em Deus nos 10 (dez) casos de gerenciamentos realizados aqui no Maranhão, mas, a cada um que se passou em minha vida profissional, praticamente um pedaço de mim, e acredito, dos colegas que me auxiliaram e tinham consciências do compromisso com as vidas de todos que estavam fazendo parte dos cenários “administrados”, ficaram nos locais e em nossos subconscientes por eternas lembranças que, tão pouco se apagarão as horas e/ou os dias vividos de tantas tensões passada.

Portanto, apontar erros de forma destrutiva para se arranjar um culpado, é simplesmente desencorajar todos aqueles que, de uma forma ou doutra, sempre estará em prontidão para incertos e inúmeros outros casos que poderão suscitar numa sociedade extremamente criminógena e doente como a nossa, ou seja, a Polícia como um todo.

Há de se rezar pela Eloá, sua coleguinha, pelos seus familiares, pelos policiais que participaram do evento acontecido, e até mesmo pelo Lindemberg que, dentro da irracionalidade humana externada, mostrou-nos que somos todos caixas de surpresa, sobretudo porque conduzimos o germe da irracionalidade adormecida em todos nós.Assim, acredito ainda que deixaríamos a hipocrisia de se ver mais uma vez nesse imenso Brasil, a procura desenfreada dos culpados no desfecho nefasto ocorrido na situação acima.De maneira que, de um forma sistêmica (e não passional), se quisermos realmente procurar culpados, tenhamos a autenticidade de simplesmente antes de tudo,nos olharmos diante de um espelho, facilmente encontraremos o culpado maior: todos nós mesmos que fazemos e compomos a sociedade pós-moderna que trás consigo suas agudas formas de expressões irracionais!!!

Por Sebastião Uchoa
Delegado de Polícia Civil no Maranhão
Email: [email protected]

O perfil do Orkut das meninas continua ativo:

Perfil do Orkut de Eloa:
http://www.orkut.com.br/Main#Profile.asp x?uid=6378834505363002726

Perfil do Orkut de Nayara:
http://www.orkut.com.br/Main#Profile.asp x?uid=13084729059006923702

Clique aqui para rezar e orar pela saúde das meninas Eloa e Nayara


Eloa morreu? Nayara morreu? Não, mas sequestro acabou mal.

Por Raphael Roale em 17/10/2008

Fim do sequestro: O sequestro de Eloa e Nayara acabou. A menina Eloa, vítima do sequestrador Lindemberg Alves não morreu, mas está em estado grave no hospital. Levou um tiro na cabeça, outro tiro na virilha, perdeu um pedaço do cérebro e está em coma.

Clique aqui para rezar e orar por Eloa e Nayara.

Foto de Eloa e Nayara
Foto de Eloa e Nayara

Nayara levou um tiro na boca. Os pais dessa menina devem estar muito mal, já que deixaram a coitada voltar para o apartamento em Santo André – onde estavam sequestradas – depois de ter sido libertada.

Foto do sequestrador Lindemberg Alves
Foto do sequestrador Lindemberg Alves sendo preso

O sequestrador Lindemberg Alves foi preso.

E nós ainda estamos aqui, acompanhando tudo como num grande reality show, grudados na televisão. Não aprendemos nada com a história da Isabela Nardoni. Continuamos querendo ver sangue, tragédia, desgraça. Continuamos curiosos, querendo ver fotos do sequestrador Lindemberg, fotos da Nayara, fotos da Eloa, perfil do Orkut de Eloa e Nayara, como se neles a catarse de vidas sem sentido pousassem como o Redentor.

E que venha a polícia.


Orkut de Eloa, sequestro de Santo André e uma palmada nos pais

Por Raphael Roale em 16/10/2008

Desde a última segunda-feira, o sequestrador Lindemberg Fernandes Alves mantém a adolescente Eloa Cristina Pimentel da Silva, sua ex-namorada, refém em seu apartamento em Santo André, em São Paulo. O motivo foi tosco: scraps de um amigo no Orkut da menina fizeram o malandro ter ciúmes e ela acabou com o namoro.

Veja o perfil de Eloa no Orkut, refém do sequestro de Santo André:
http://www.orkut.com.br/Main#Profile.aspx?uid=6378834505363002726

Sequestro Santo André - Foto Eloa e Nayara
Foto de Eloá, do sequestro de Santo André

Mas sabem de uma coisa? A culpa é dos pais, da menina e do sequestrador. Essa bosta de Orkut é uma praga que precisa de monitoramento constante. É muito fácil para os adolescentes de hoje criarem seus perfis no Orkut e daí montar seu próprio universo paralelo.

Um cara com o comportamento desse sequestrador já devia apresentar características de desvio de conduta no seu Orkut. E uma tragédia como essa do sequestro de Santo André poderia ser, pelo menos, antecipada.

Então, caríssimos pais de adolescentes, como eu: monitore e acompanhe de perto o mundo virtual de seus filhos.

Clique aqui para rezar por Eloa e Nayara

Via: O BLOGO


20 Dicas de Português – evite erros mais comuns

Por Raphael Roale em 16/10/2008

Outro dia estava conversando com um amigo com dificuldades em redação. Na verdade, ele estava me pedindo dicas de regras de português e gramática para tentar uma vaga num dos muitos concursos públicos que vai prestar este ano. E redação para concurso é eliminatório.

Aí comecei a me enrolar. Verificando matérias como regência e concordância verbal, percebi que eu também estava cometendo muitos erros bobos em expressões do dia-a-dia.

E para ajudar você e o meu amigo que vai fazer concurso público, resolvi listar os 20 erros mais comuns de português e dicas para escrever corretamente.

Dica 1- Uso de “A” ou “HÁ”

O indica tempo que já passou, como no exemplo: “Eu parei de fumar algum tempo”.

O A indica o tempo que ainda vai passar, como no exemplo: “Daqui a alguns anos, eu morrerei”.

Dica 2 – Uso de “A CERCA DE”, “HÁ CERCA DE” ou “ACERCA DE”

A CERCA DE indica distância, como na frase “Trabalho a cerca de 10 quilômetros da minha casa”;

HÁ CERCA DE indica tempo aproximado, como no exemplo “Te conheço há cerca de 20 anos”

ACERCA DE é o mesmo que A RESPEITO DE, como no exemplo “Na reunião falamos acerca de seu desempenho”.

Dica 3 – Uso de AO ENCONTRO DE ou DE ENCONTRO A

AO ENCONTRO DE é utilizado em uma situação favorável, como na frase “Sua oferta vai ao encontro de minhas expectativas. Aceito!”

DE ENCONTRO A indica uma situação de oposição, como no exemplo “Seus interesses vão de encontro aos meus. Não dá certo!”

Dica 4 – Uso de “AFIM” ou “A FIM”

AFIM é um adjetivo que passa a idéia de igualdade, semelhança, afinidade. Exemplo: “Somos amigos pois temos idéias afins

A FIM é o mesmo que “para”, e indica finalidade. Exemplo: “Saí na balada a fim de diversão”

Dica 5 – Uso de “AO INVÉS DE” ou “EM VEZ DE”

EM VEZ DE indica substituição, como no exemplo: “Coma verduras e legumes em vez de frituras para ter uma boa saúde”.

AO INVÉS DE apresenta idéia contrária, uma oposição. Por exemplo: “Você deve falar ao invés de só escutar”

Dica: se está na dúvida, use a expressão EM VEZ DE, já que pode ser utilizada em qualquer situação, em qualquer sentido.

Dica 6 – Uso de “AO NÍVEL DE” ou “EM NÍVEL DE”

AO NÍVEL DE significa “à mesma altura”, como no exemplo “A cidade do Rio de Janeiro fica ao nível do mar, enquanto Brasília é mais alto”

EM NÍVEL DE é o mesmo que “no âmbito de” e indica escopo. Exemplo: “A decisão foi tomada em nível de direção, não cabe recurso”

Dica: por favor, aprenda que não existe a expressão “a nível de” como muitos gostam de falar por aí.

Dica 7 – Uso de “AONDE” ou “ONDE”

AONDE é utilizado com verbos que indicam movimento, como na frase “Aonde estamos indo?”

ONDE é utilizado com verbos estáticos, como em “Onde está a minha carteira?”

Dica: o termo “onde” é utilizado para se referir a espaços físicos, como em “A sala onde ficará a equipe”. NUNCA utilize frases do tipo “O item da proposta onde é tratado o assunto…”. O correto seria “O item da proposta em que é tratado este assunto…”

Dica 8 – Uso de “A PRINCÍPIO” ou “EM PRINCÍPIO”

EM PRINCÍPIO é o mesmo que “em tese”, “de um modo geral”, como na frase “Em princípio, achei você uma pessoa muito legal”

A PRINCÍPIO significa “começo”, “início”, como na frase “A princípio, achei você uma pessoa muito legal. Mas depois percebi que me enganei.”

Dica 9 – Uso de “DEMAIS” ou “DE MAIS”

DEMAIS pode ser usado como advérbio de intensidade no sentido de “muito”, e também como pronome indefinido no sentido de “outros”. Como na frase “A situação deixou os demais candidatos chateados demais!”

DE MAIS é o oposto de “de menos” e são sempre referidos a um substantivo ou pronome. Exemplo: “Existem candidatos de mais para eleitores de menos“.

Dica 10 – Uso de “EM FACE DE” ou “FACE A”

Não existe a expressão “FACE A” na língua portuguesa. Dessa forma, apenas é permitido utilizar a expressão EM FACE A. Exemplo: “Em face do aumento do dólar, não vou viajar para o exterior”

Dica 11 – Uso de “DENTRE” ou “ENTRE”

ENTRE é utilizado nos casos em que o verbo não exige a preposição de, como no exemplo: “Entre as pessoas desta sala, tenho mais chance.”

DENTRE já tem o uso mais limitado. Significa “no meio de” e é fruto da união da s preposições de + entre. Mas para que esta união ocorra, o verbo precisa exigir a preposição de. Veja exemplos:

Ex 1 – “Ele ressurgiu dentre as pessoas” – quem ressurge, ressurge de algum lugar. Neste caso, de onde? De entre as pessoas, ou do meio das pessoas.

Ex 2 – “Os músicos saíram dentre as primeiras filas” – quem sai, sai de algum lugar. De onde? Do meio das primeiras filas

Dica 12 – Uso de “ESTE”, “ESSE” ou “AQUELE”

Os pronomes demonstrativos ESTE, ESSE e AQUELE precisam de um pouco de atenção no seu uso, cujas diferenças recorrem ao espaço em relação às três pessoas do discurso, o tempo verbal e a proximidade com os termos da oração.

– Pronome ESTE

  • Espaço: Indica o que está próximo da pessoa que fala – “Esta proposta é excelente!”
  • Tempo: atual – “Esta semana ligarei para você.”
  • Proximidade com Termos: refere-se ao termo mais próximo – “Joana e Angélica estiveram aqui. Esta (Angélica) é mais inteligente.”

– Pronome ESSE

  • Espaço: indica o que está próximo da pessoa com quem se fala – “Esse desafio vai mexer com você!”
  • Tempo: passado próximo – “Casei em 2006. Nesse ano meu filho nasceu.”
  • Proximidade com Termos: refere-se à idéia mais mencionada – “Leia o Minha Gestão. Esse site é fantástico.”

– Pronome AQUELE

  • Espaço: indica o que mais distante da pessoa que fala e da pessoa com quem se fala – “Aquela proposta que perdeu era muito ruim!”
  • Tempo: passado distante – “Os carros daquela época eram muito melhores.”
  • Proximidade com Termos: refere-se ao termo mais distante – “Me formei em duas faculdades, medicina e direito. Aquela (medicina) foi muito mais difícil.”

Dica: o pronome este também pode indicar uma idéia que ainda vamos mencionar, como no exemplo: “Vamos debater este assunto: ganhar dinheiro.”

Dica 13 – Uso de “HAJA VISTA” ou “HAJA VISTO”

HAJA VISTA é a única expressão correta, pois neste contexto a palavra “vista” é invariável. Mas o verbo “haver” admite concordância com o substantivo a que se refere.

– Ex 1: “Haja vista o ocorrido, não irei trabalhar”

– Ex 2: “Hajam vista os acontecimentos, não irei trabalhar”

Dica: como a expressão “Haja Visto” não existe, deve-se dar a preferência ao uso da forma invariável HAJA VISTA.

Dica 14 – Uso de “MAIS”, “MAS” ou “MÁS”

MAIS é utilizado tanto como advérbio de intensidade – “Eu sou mais bonito que você” – como pronome indefinido – “Eu quero mais amor”.

MAS é uma conjunção adversativa e indica oposição, como no exemplo: “Eu saí, mas não cheguei lá”

MÁS é um adjetivo, e utilizado como antônimo de “boas”: “As más ações levam você para o inferno”

Dica 15 – Uso de “MAU” ou “MAL”

MAU é o oposto de “bom”, como no exemplo: “Eu sou mau. Vou para o inferno”

MAL é o oposto de “bem”, como no exemplo: “Ele fala muito mal

Dica 16 – Uso de “POR” ou “PÔR”

POR é preposição: “Por favor, reze por mim”

PÔR é verbo, o mesmo que “colocar”: “Vou pôr o livro sobre a estante”

Dica 17 – Uso de “POR QUE”, “PORQUE”, “POR QUÊ” ou “PORQUÊ”

O uso dos porquês não é tão simples, precisa de um pouco de atenção. Para facilitar o seu entendimento, podemos usar o eficiente mecanismo de substituição:

Usa-se o POR QUÊ se puder substituir por “por qual motivo”, como no final da frase “Você me odeia tanto por quê?

Usa-se o PORQUÊ se puder substituir por “o motivo”, como na frase “Não sei porquê tenho que estudar tanto!”

Usa-se o POR QUE se puder substituir por “por que motivo”, como na frase “Eu sei por que você não me liga mais!”

Usa-se o PORQUE se puder substituir por “porquanto”, como na frase “Não vi porque sou cego.”

Dica 18 – Uso de “SE NÃO” ou “SENÃO”

SE NÃO é o mesmo que “caso não”, como na frase “Se não dormir mais cedo, vou acordar mais tarde”

SENÃO é o mesmo que “do contrário”, como na frase “Eu estava dormindo, senão atenderia”; ou o mesmo que “a não ser”, como na frase “Não faço outra coisa senão amar você”

Dica 19 – Uso de “TÃO POUCO” ou “TAMPOUCO”

TÃO POUCO é o mesmo que “muito pouco”, como no exemplo “Ganho tão pouco que não dá nem pro cafezinho”

TAMPOUCO é o mesmo que “também não”, como no exemplo “Não comi a salada tampouco a sobremesa”

Dica 20 – Uso de “TODO” ou “TODO O”

TODO indica “qualquer”, como na frase “Todo homem gosta de futebol”; ou é o mesmo que “muito”, como no exemplo “Fiquei todo molhando andando na chuva”

TODO O significa “inteiro” ou “total”, e pode ser observado no exemplo “Todo o jantar foi servido e consumido”

Ah! Agora não se esqueça de iniciar a sua redação de forma a seduzir o seu leitor. Isso é garantia de uma boa leitura, sem sacanagem.


Não se faz política no Brasil. Apenas eleição.

Por Raphael Roale em 04/10/2008

No próximo domingo, além das eleições municipais temos também o aniversário da Constituição da República do Brasil, que fará 20 anos desde a sua promulgação em 1988. E junto com ela, a tão festejada e desejada democracia caminha ao lado por igual período de tempo.

Democracia

Mas essa coincidência histórica traz alguns fatos que não se encaixam muito bem: por uma lado, temos uma carta constitucional que é uma das mais avançadas do mundo em termos de direitos e garantias individuais, e o país avançou muito nestas duas últimas décadas tendo a constituição como alavanca; mas repare que a política continua sendo feita seguindo a velha cartilha do início do século passado, sem qualquer avanço.

E essa estagnação política distancia cada vez mais os políticos da sociedade civil. O vácuo criado entre cidadãos e governantes faz com que a gente olhe os políticos com uma má-vontade repugnante; e estes, por viver das muitas benesses e mordomias do Estado, sentem-se cada vez menos obrigados a dar satisfações à sociedade e mais a este Estado que lhe presta tantos favores.

O Brasil é um dos únicos países do mundo que ainda conta com o atraso do voto obrigatório. E pior, com um sistema eleitoral que deforma consistentemente a representação popular nas urnas: o sujeito pensa que vota em um nome, mas está votando num partido. Vota em fulano, mas elege sicrano e beltrano. É o chamado Coeficiente Eleitoral.

Por isso não se faz política no Brasil, apenas eleição. Veja, por exemplo, as campanhas e propagandas eleitorais. Quais foram os temas genuinamente políticos que foram discutidos, apresentados, debatidos entre os candidatos e a sociedade? Eu respondo: nenhum. O que se viu foi um amontoado de frases feitas, denúncias, solavancos, desaforos entre candidatos, a guerra pela vitória na eleição. E a política verdadeira, aquela em que se propõe a melhoria e o avanço do país, ficou de lado.

Mas a culpa é nossa. Nós celebramos a esperteza. Quem age de forma correta é bobo, idiota. Por isso achamos que política se faz apenas em Brasília, que não somos responsáveis pelo regime, não nos damos conta que a manutenção da democracia é, acima de tudo, garantir a liberdade e participação ativa na decisões que impactam diretamente na nossa vida.

Então acho que já passou da hora de cobrarmos também o aperfeiçoamento da política. Está na hora de alguém conseguir mediar de forma eficiente e isenta os interesses da Política, do Estado e do Cidadão. Chega de decisões inúteis que levam em consideração apenas o bolso de quem governa. Se o barco vira, todos morrem afogados.

Política não deve ser feita apenas por prazer.


buy ciprofloxacin